Reuniu a Assembleia Geral da AML

Perspectivas para 2009 pouco animadoras

19 de novembro de 2008
Pormenor da Assembleia-geral da Associação de Moradores das Lameiras

A Assembleia-geral da Associação de Moradores das Lameiras, reunida no dia 18 de Novembro, considera as “perspectivas que se colocam para 2009 como pouco animadoras. A situação económica e social das famílias tem-se vindo a agravar (desemprego, salários baixos, precariedade, famílias endividadas, etc) com profundas repercussões para a gestão e prestação de cuidados aos mais débeis desta sociedade em que vivemos”, lê-se na introdução ao Plano de Acção e Actividades para 2009 aprovado por unanimidade.. As acções da AML para 2009 estarão centradas nos valores da pessoa humana, como instrumento orientador de práticas sociais, educativas e pedagógicas que respondam não só às situações emergentes, mas também ao intercâmbio diário de convivência entre diferentes culturas e modos de vida. Deste modo, os princípios orientadores, terão como lema: “Construir a Igualdade – Promover a diversidade”.

A gestão do Complexo Habitacional das Lameiras e do Centro Social e Comunitário, coloca importantes desafios e capacidade de resposta a todos os membros dos Órgãos Sociais da AML, aos seus técnicos e colaboradores. Apesar das dificuldades os vários departamentos da AML, estarão sempre disponíveis para ouvir, acolher, analisar e ajudar a encontrar soluções para os muitos problemas que afectam a população que necessita destes serviços. O Plano será concretizado a partir das diferentes respostas sociais, cujos planos, aqui sintetizados, serão concretizados nos seguintes sectores: Qualidade, Infanto-juvenil, Idosos e nos Departamentos de Acção Social e Voluntariado, partindo de três ângulos essenciais como: a caracterização, os objectivos e as actividades propostas.

O ano de 2009 será um ano marcante para a Associação de Moradores das Lameiras com a comemoração dos seus 25 anos de existência. Assim, o Plano de Acção e Actividades aprovado, apresenta momentos celebrativos e de festa, mas não esquece as necessidades da população, utentes e clientes que esta Associação acolhe, procurando mobilizar e ajudar a encontrar soluções para os problemas de uma sociedade em crise, com reflexos profundos na região onde esta IPSS está inserida. No entanto, o documento refere: “após a certificação das suas principais respostas sociais do Centro Social e Comunitário, a AML está preparada para desenvolver uma importante acção junto de todos aqueles que estão a ser afectados pelas consequências nefastas de uma crise que outros criaram e que também atinge as instituições de solidariedade.

Fruto do agravamento das condições económicas das famílias e a exigência por parte da equipa técnica (equipamentos sociais) da Segurança Social para aumentar a volumetria do projecto “Lameiras intergeracional” do PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, então apresentado, fez disparar os custos projectados de 190 mil para 350 mil euros. Se este projecto não obtiver o financiamento correspondente, coloca em risco a construção da nova Creche para 33 crianças, e o aumento da capacidade do lar de idosos para mais nove camas. Perante esta realidade Jorge Faria esclareceu os associados que houve necessidade, por parte da Direcção, em solicitar a sua reavaliação superiormente, pelo que se aguarda uma resposta do Ministério do Trabalho e Solidariedade Social. Já o projecto para a construção de 15 apartamentos T0, no bloco nascente/norte do rés-do-chão do Edifício das Lameiras, onde funcionaram a creche e jardim-de-infância desta Associação, apesar de pronto e com financiamento, continua parado por questões burocráticas de mudança de âmbito, a serem resolvidas pela Câmara Municipal, para que as obras possam arrancar. A AML continuará a investir nas energias alternativas, com o objectivo de fazer diminuir os gastos energéticos. O Presidente da Direcção, Jorge Faria, disse aos associados que “a Direcção continuará a fazer diligências no sentido de conseguir um terreno, na freguesia de Antas, que lhe permita, num futuro próximo, alargar a sua capacidade de acção para outras áreas, sobretudo a construção de um centro geriátrico”.

Jorge Faria disse ainda que “o Plano de Acção e Actividades para 2009 coloca, mais uma vez, grandes desafios a todos os seus intervenientes”, lançando um repto referido no Plano aprovado: “não haverá igualdade de oportunidades se cada um ou cada uma continuar a pensar apenas no seu sucesso individual, esquecendo a sociedade diversificada onde vive e convive com os outros”. A Assembleia-geral aprovou por unanimidade a conta de exploração previsional para 2009, que prevê verbas para o funcionamento normal da instituição no valor de 1.500.000 €, enquanto o orçamento de investimentos será de 616 mil euros. De salientar uma diminuição das receitas da Segurança Social em cerca de quinze mil euros, comparadas com o orçamento de 2008 que previa uma comparticipação de 788.726 € e o de 2009 que prevê apenas 773.691 € devido, sobretudo à diminuição das comparticipações para o CATL – Centro de Actividades dos Tempos Livres. A Assembleia-geral elegeu para tesoureiro da AML o vogal da Direcção, António Ferreira da Silva, que substituirá José Vidal, recentemente falecido e para vogal da Direcção foi eleito o associado Carlos Alberto Mendes Oliveira, eleito nas eleições anteriores como suplente ao Conselho Fiscal. A proposta da Direcção de reformulação dos vários pontos que compõem o artigo terceiro do Regulamento Interno, adaptando-o aos novos estatutos anteriormente aprovados também foi aprovada. No início dos trabalhos os associados prestaram um minuto de silêncio em honra do tesoureiro da AML, José Vidal, falecido no passado dia 20 de Outubro.
Recorde-se que a Associação de Moradores das Lameiras, através do Centro Social das Lameiras, entidade certificada, e dos Gabinetes de Atendimento e Acompanhamento Social, presta relevantes serviços de qualidade a uma população muito diversificada das freguesias do núcleo urbano da cidade de Vila Nova de Famalicão, com predominância para a zona nascente da cidade e freguesia de Antas, que encontram nesta instituição um meio para resolver muitas das suas preocupações desde a infância, juventude, família e terceira idade.

Vila Nova de Famalicão, 19 de Novembro de 2008

Adicionar comentário

Subscrever newsletter

As novidades da AML na sua caixa de correio.



BoletimBoletim cultural e informativo

Ler online »