Qualidade na Economia Social em debate

«Famalicão está a trabalhar um passo à frente»

19 de abril de 2007
Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, no uso da palavra - Sessão de Abertura
Vila Nova de Famalicão, é um concelho que "está a trabalhar um passo à frente", no âmbito da certificação da qualidade nos serviços e valências das instituições sociais, afirmou o Ministro do Trabalho e Solidariedade Social, Dr. Vieira da Silva, na abertura do seminário internacional "Qualidade na Economia Social", que decorreu na Casa das Artes, com a presença de mais de três centenas de pessoas ligadas ao sector. Organizado pela parceria do Projecto “eQualidade”, de que esta Associação faz parte, em conjunto com outras sete organizações, contou com a presença de diversos especialistas nesta área.
 Visivelmente satisfeito com o trabalho desenvolvido pelo Município de Famalicão na área da acção social, Vieira da Silva salientou que o governo está a fazer um esforço muito grande no sentido de ampliar as respostas sociais, nas áreas do apoio à infância, aos idosos e aos menores em risco, mas com um incremento da qualidade, quer no sentido das instalações físicas, quer do atendimento. "A quantidade é uma dimensão decisiva no plano social, mas a qualidade posiciona-se numa fase posterior, em que se procura certificar valências e recursos humanos. (…) "É este trabalho que já está a ser desenvolvido em Famalicão", sublinhou.

No seminário foram apresentados os primeiros frutos do desenvolvimento do projecto Equalidade, um programa social inovador onde participa a Câmara Municipal de Famalicão em parceria com seis instituições da economia social e que visa a qualificação de instituições de solidariedade social. Na sua intervenção, Armindo Costa, Presidente da Câmara de Famalicão, anunciou que "em meados deste ano, no âmbito do projecto Equalidade, obterão certificados de qualidade num total de 11 valências sociais em seis instituições parceiras neste projecto". O autarca esclareceu que "a certificação da qualidade nos serviços de acção social é boa para todos: é boa para o prestígio das instituições e é boa para a qualidade de vida dos cidadãos" e acrescentou: "Hoje, mais do que nunca, é preciso harmonizar os serviços de integração social com uma lógica empresarial na prestação desses mesmos serviços".

O projecto Equalidade que está enquadrado no programa de iniciativa comunitária Equal, será desenvolvido até Setembro de 2007 e é promovido em parceria pelo Município de Famalicão, pela Associação de Moradores das Lameiras, Associação Teatro Construção, Centro Social e Cultural de S. Pedro do Bairro, Engenho - Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, Mundos de Vida - Associação para a Educação e Solidariedade, Recreio do João - Cooperativa de Solidariedade Social e Bússola - consultores. Para além da implementação do Sistema de gestão de Qualidade nestas organizações da economia social, o projecto Equalidade destaca-se ainda na área da formação profissional, na realização de seminários e workshops, na implementação de um sistema de informação e comunicação com a criação de uma página web e no desenvolvimento do balanço de competências.

No final foram destacadas as seguintes conclusões: A qualidade passa pela satisfação dos utentes/clientes internos e externos. Ela é feita por pessoas e para as pessoas, no atendimento, nos serviços e até nos gestos, num sorriso, numa palavra de afecto; A qualidade é medida por sistemas de gestão, bem definidos nos organigramas  das instituições e manuais que sejam perceptíveis e auditáveis; Acreditar ou certificar um sistema de gestão da qualidade, é sempre um acto voluntário. A certificação é uma excelente oportunidade para prestar melhores serviços. Não é um fim, mas um princípio, que entre outros, desafia a gestão de topo a ser capaz de descer para ir ao encontro das pessoas e estar com elas, ouvir o que estas têm para dizer e propôr. A qualidade, como já se disse, começa e acaba nas pessoas. Permite uma constante atenção às mudanças sociais, culturais e económicas. Incentiva o desenvolvimento de parcerias, partilha de conhecimentos e experiências e o desenvolvimento de uma economia de escala. Põem à prova a capacidade de imaginação na criação de novos serviços, novos conceitos e novos processos, numa palavra: a excelência. Por fim, a qualidade é um desafio permanente. “O Futuro faz-se hoje. Faz-se todos os dias” a qualidade é um meio.

Intervieram neste Seminário Internacional, para além do Ministro do Trabalho, Vieira da Silva e do Presidente da Câmara, Armindo Costa, José Carlos Veloso, Presidente da Engenho, em representação da parceria de desenvolvimento. Seguiu-se um painel sobre os "Desafios para a Economia Social", com intervenções de Edmundo Martinho, Presidente do ISS, Lino Maia, Presidente da CNIS, Carla Pereira, Directora da SINASE e Palmira Macedo, da Universidade Católica do Porto, com a coordenação de Sandra Almeida da gestão do Programa Comunitário Equal, que apoiou esta iniciativa. Da parte da tarde um painel sobre "Boas Práticas para a Qualificação da Economia Social", que teve como moderador Alberto Melo, da Universidade do Algarve, foram apresentados os projectos Equalidade; Programa Q3 – Qualificar o terceiro sector da IEBA; Projecto Social Accounting da Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira e a apresentação da Norma espanhola para a certificação do terceiro sector da ONGCONCALIDAD. As Conclusões foram apresentadas por João Paulo Pinto, Docente da Universidade Lusíada.

Adicionar comentário

Subscrever newsletter

As novidades da AML na sua caixa de correio.



BoletimBoletim cultural e informativo

Ler online »