Relatório e contas aprovados por unanimidade

31 de março de 2012
Reunida no passado dia 26 de Março de 2012 a Assembleia-geral da Associação de Moradores das Lameiras aprovou por unanimidade o relatório e contas da gerência de 2011 por unanimidade.
«Interlaçar Raízes» foi o objectivo central do Plano de Acção e Actividades da Associação de Moradores das Lameiras em 2011 que levou a constituir um projeto para desenvolver laços, de amizade, ternura, solidariedade, paz e justiça, os quais tiveram no voluntariado um forte veículo de desenvolvimento. Ao interlaçar raízes pretendeu-se recordar o passado, produzir pesquisas históricas sobre as raízes de cada um/a numa conjugação de esforços entre a pessoa humana e a natureza, trabalho este que irá prosseguir nos próximos dois anos.

O ano de 2011 proporcionou um novo ciclo na vida da Associação de Moradores das Lameiras, não só porque foi iniciado um novo mandato dos Corpos Gerentes, mas também porque se pretendeu implementar novas dinâmicas que envolvessem todos os associados e a população em geral. A AML constatou de que 2011 foi um ano particularmente difícil para todos, sobretudo para a população desempregada e para aqueles que dependem dos subsídios sociais para viver. A crise instalada no nosso país e na europa acabou por atingir de forma cruel os mais frágeis e por consequência a própria instituição.

«Interlaçar raízes» implicou ainda uma união de esforços para que nenhuma “raiz” ficasse de fora, salientou Jorge Faria na apresentação do relatório aos associados, e se sentisse interlaçada nas novas dinâmicas imprimidas, encontrando nesta instituição o aconchego para a resolução de muitas situações que afetaram e afetam a infância, juventude, família e terceira idade.

O relatório geral foi concretizado a partir das diferentes respostas sociais, cujos resultados explanados por sectores: Infantojuvenil, Idosos, Saúde e Departamentos de Acção Social, Voluntariado, Qualidade e Formação. Parte de três ângulos essenciais como: a caraterização, os objetivos, as atividades/estratégias, avaliação da execução e outros aspetos relevantes.

A situação de crise financeira que afeta o país não permitiu que a AML concretizasse uma série de iniciativas que estavam programadas e teve que suspender alguns dos investimentos previstos para não influenciar, de forma negativa, o normal funcionamento da instituição. Para fazer face à gestão corrente foram necessários 1.711.577,91 €. Quanto ao passivo da dívida a terceiros esta passou de 70 para 40 mil euros.
Recorde-se que esta instituição acolhe 83 crianças em creche, 75 no pré-escolar, 121 em CATL, 32 idosos em centro de dia, 35 em Lar e 40 no apoio domiciliário. A sua casa Abrigo acolhe seis utentes e os gabinetes de atendimento e acompanhamento social às freguesias de Antas e Calendário procederam ao atendimento de dois mil utentes, que foram encaminhados para os diferentes serviços da Segurança Social, do IEFP e Municipio de Vila Nova de Famalicão. Esta Associação dá emprego a 82 pessoas e tem contratos de prestação de serviços com cerca de uma dezena de outros profissionais.
Presentemente a Direção desenvolve uma campanha de angariação de fundos para comparar duas novas viaturas, acredita na generosidade dos benfeitores, amigos e autarquia para o conseguir.

A Direção

Adicionar comentário

Subscrever newsletter

As novidades da AML na sua caixa de correio.



BoletimBoletim cultural e informativo

Ler online »